noticias

Aos Enfermeiros e Enfermeiras

O Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo trabalha com afinco, sempre pensando em garantir a manutenção dos direitos conquistados ao longo dos anos e obter novos avanços, principalmente nas negociações coletivas junto aos Sindicatos Patronais.  Procuramos conseguir nas Convenção Coletiva de Trabalho reajuste digno, em reconhecimento ao serviço prestado pelos Enfermeiros em todo […]

O Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo trabalha com afinco, sempre pensando em garantir a manutenção dos direitos conquistados ao longo dos anos e obter novos avanços, principalmente nas negociações coletivas junto aos Sindicatos Patronais.  Procuramos conseguir nas Convenção Coletiva de Trabalho reajuste digno, em reconhecimento ao serviço prestado pelos Enfermeiros em todo a região paulista.

Este ano não foi diferente. Porém, como é de conhecimento geral, apesar da crise que acomete o país, o governo afirma que os índices utilizados para reajustes estão em deflação, ou seja, houve uma queda progressiva dos mesmos, o que fez que na data base da categoria o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), acumulado nos últimos 12 meses fosse de 1,6%. Mesmo assim não desistimos e conseguimos fechar algumas CCTs, inclusive já assinadas, com reajuste de 4% a 2%, acima do determinado pelo governo.

Além disso, conseguimos a manutenção dos direitos dos enfermeiros de ter 1 hora de refeição (diferente dos 30 minutos aprovados na Reforma Trabalhista), o Auxílio-Creche e a Jornada 12×36 com pelo menos 2 folgas. Devemos lembrar que caso não tivéssemos negociado, estes direitos poderiam ser retirados frente as novas regras impostas pela Reforma Trabalhista.

O momento é de resistência. No próximo período teremos que estar cada vez mais unidos pelo fortalecimento da categoria e os trabalhadores devem fortalecer seu sindicato, pois com a Reforma, muitos tentarão retirar direitos históricos e que podem hoje ser negociados mesmo estando na lei. Lembrem-se que a reforma aprovou o negociado sobre o legislado. Somente a participação nas mobilizações e o fortalecimento do Sindicato garantirá os seus direitos.

Temos muito o que lutar, e vamos vencer, porque juntos somos mais fortes. Pensem nisso.