Notícias

Em audiência pública SEESP e demais movimentos sociais defendem o SUS

O Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo (SEESP), representado pela vice-presidente Josefa Bezerra e o diretor João Maia, esteve na tarde de terça-feira (27) com demais entidades de representação, movimentos sociais e conselhos gestores no Ministério Público do Estado de São Paulo participando de Audiência Pública para discutir as propostas de mudanças da […]

O Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo (SEESP), representado pela vice-presidente Josefa Bezerra e o diretor João Maia, esteve na tarde de terça-feira (27) com demais entidades de representação, movimentos sociais e conselhos gestores no Ministério Público do Estado de São Paulo participando de Audiência Pública para discutir as propostas de mudanças da aposentadoria dos servidores do município e reestruturação no Sistema de Saúde da cidade.

A audiência pública foi conduzida pela promotora de Justiça de Direitos Humanos da capital, Dra. Dora Martin Strilicherk, e também pelo promotor de Justiça, Arthur Pinto Filho. O secretário municipal de Saúde, Wilson Pollara, defendeu a reestruturação que a Prefeitura de São Paulo pretende fazer no sistema de saúde da capital. Segundo ele, nenhum equipamento público de saúde será fechado. A promotora afirmou que irá “acompanhar o processo de reestruturação proposto pelo município”.

“O desmonte da aposentadoria representaria um verdadeiro retrocesso na saúde pública do município de São Paulo, impactando na qualidade da assistência e sobrecarregando o atendimento que já é precário, porque não atende a demanda de atendimento, principalmente da população de baixa renda e com alta complexidade”, afirmou a vice-presidente Josefa Bezerra.

Os movimentos representativos da sociedade rechaçaram que a saúde não pode ser tratada como mercadoria. “O custo-benefício de uma saúde pública de qualidade não tem valor monetário que pague”, ressaltou o diretor João Maia.

“Não podemos aceitar o descaso com a saúde pública e a população assistida. Seguiremos firmes na luta, defendendo o SUS para todos”, finalizou a vice-presidente.