noticias

Somos iguais. Lutamos iguais. Amamos igual ou mais. Somos LGBTI

No mundo ainda temos 68 países que punem como crime as relações de pessoas do mesmo sexo. Assim como temos cerca de 8 países onde esta orientação sexual é punida com pena de morte, sem falar que somos perseguidos por todos os países. Não há nenhum país onde não sofremos discriminação, estigmatização ou violência. Pois […]

No mundo ainda temos 68 países que punem como crime as relações de pessoas do mesmo sexo. Assim como temos cerca de 8 países onde esta orientação sexual é punida com pena de morte, sem falar que somos perseguidos por todos os países. Não há nenhum país onde não sofremos discriminação, estigmatização ou violência. Pois a mudança de atitude da sociedade é mais lenta que as mudanças legais.

Enquanto tentamos a todo custo avançar em conquistas para reconhecer os direitos das pessoas do mesmo sexo, nos Estados Unidos, com o presidente Donald Trump, se vive a volta de um forte conservadorismo de extrema direita avessos aos direitos LGBTI, com o risco de ocorrer o desmonte do arcabouço normativo regulatório existente. A verdade é que Trump fortaleceu o discurso de ódio, racista e homofóbico.

Por outro lado, temos visto o apoio do Papa Francisco a comunidade, contrariando o pensamento do Vaticano sobre o tema. Entendemos que é necessário intensificar esforços para que o Vaticano reveja seus conceitos e valores sobre as pessoas LGBTI. Já no Brasil, que sedia a maior Parada Gay do mundo, levando milhões às ruas, continua sendo o país onde mais se mata homossexuais, inclusive com requintes de crueldade.

Muito se avançou na ISP no último período, mas é preciso avançar mais. Aprofundando o debate, implementando na ISP e afiliadas políticas voltadas as pessoas LGBTI. É necessário que as entidades efetivamente desenvolvam planos de ação  locais, que dialoguem com a sociedade sobre a necessidade de proteger estes trabalhadores. Quero pedir a todos e todas que neste momento deem as mãos em favor desta causa. Peço o comprometimento dos companheiros e companheiras para defender uma causa justa é necessária.

Somos iguais.

Lutamos iguais.

Amamos igual ou mais.

Somos LGBTI.

Pedimos respeito e a defesa de todos vocês a nosso favor.

Se estão de acordo, Repitam Comigo: “Nem menos, nem mais! Direitos Iguais!”

Discurso de Elaine Leoni, Secretaria Geral do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo (SEESP) e diretora da Confederação Nacional das Profissões Liberais (CNPL), durante o 4º Foro LGBT, da ISP, em Genebra (Suiça)