Carta Aberta conjunta Seesp e Coren

 Carta Aberta conjunta Seesp e Coren

O Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo (SEESP) e o Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (COREN/SP) vem a público denunciar o descaso com os trabalhadores da Enfermagem e pedir apoio da população para a valorização dos profissionais a fim de enfrentar em condições dignas o recrudescimento da pandemia que acontece em todo o país. 

A disseminação acelerada da variante Ômicron da Covid-19 encontra os profissionais da saúde exauridos física e mentalmente; falta pessoal, as equipes de saúde que já eram reduzidas estão ainda menores, devido a muitos afastamentos, seja pela contaminação pelo vírus ou por outras doenças, decorrentes da estafa; muitos profissionais precisam dobrar plantões e não tempo nem condições adequadas de descanso nos hospitais. Muitos sofrem com atraso de salários e sequer tem recursos para a condução até o local de trabalho. A maioria, formada por mulheres, precisa trabalhar em dois ou três empregos para ganhar o mínimo necessário a fim sustentar a si e à sua família. 

Todos esses problemas fazem com que a população tenha de esperar horas para ser atendida nas unidades de saúde e a assistência torna-se precária. Nos hospitais, lotados, as equipes já não conseguem dar conta da demanda. 

Sondagem realizada pelo Coren-SP, em janeiro de 2022, mostra essa realidade. Entre os participantes, 81,7% informaram que estão atendendo maior volume de pacientes desde dezembro de 2021 e 33,7% tiveram impactos no aumento da jornada de trabalho. Além da crescente demanda, os profissionais de enfermagem manifestaram outra situação alarmante: 33,7% dos respondentes afirmaram sofrer agressões. 

Diante dessa situação, o SEESP e o COREN/SP convocam a população a apoiar a luta da Enfermagem paulista e paulistana, pois do contrário será impossível continuar na linha de frente no combate à Covid-19 com eficiência. Precisamos que todos voltem a manter as medidas sanitárias a fim de frear o avanço da doença, bem como da H3N2, o subtipo da gripe Influenza A que também se dissemina rapidamente e para a qual ainda não tem vacina disponível. Medidas simples, como o uso correto da máscara, o distanciamento social e a constante higienização das mãos são capazes de reduzir muito a contaminação. Além disso, é preciso se vacinar com todas as doses necessárias. 

Por outro lado, precisamos que a população apoie as reivindicações de Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares de Enfermagem, pressionando os governos estadual e municipais, deputados e demais autoridades públicas para que tomem medidas que vão desde a contratação emergencial de pessoal até a aprovação do PL 2564/20 que estabelece um piso salarial nacional para que a categoria possa ter condições dignas de vida. 

Conheça as principais reivindicações para as quais a Enfermagem precisa do seu apoio:

  • 1 – Aumento do número de profissionais nas unidades; 
  • 2 – Concessão de férias que estavam suspensas; 
  • 3 – Concessão de pelo menos mais uma folga; 
  • 4 – Equipes de apoio psicológico nas unidades; 
  • 5- Revisão da manutenção das unidades abertas nos finais de semana ou o pagamento de Hora Extra; 
  • 6- EPIs em quantidade e qualidade adequados; 
  • 7- Instalação da sala de descompressão nas unidades.

Juntos vamos vencer a pandemia!

Elaine Leoni
Presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São

James Francisco dos Santos
Presidente do Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo

Deixe uma Respota

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *