Convenção Coletiva SINDHOSP

 Convenção Coletiva SINDHOSP

O Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo – SEESP vem por meio deste, informar o fechamento da Convenção Coletiva de Trabalho- CCT, para o período 2020/2021, firmada com Sindicato Dos Hospitais, Clínicas, Casas De Saúde, Laboratórios De Pesquisas E Análises Clínicas Do Estado De São Paulo – SINDHOSP, encaminhando para conhecimento e providências de cumprimento das principais cláusulas conforme segue:

CLÁUSULA 1ª – REAJUSTE SALARIAL:
Fica estabelecido o reajuste salarial, da ordem total de 2,94% (dois inteiros e noventa e quatro décimos por cento), a incidir sobre os salários de setembro de 2019, a serem pagos a partir de 1º de novembro de 2020, sem incidência retroativa.

Parágrafo 1º: O índice acima estabelecido será aplicado aos salários até o valor de R$ 12.202,12 que corresponde a dois tetos da previdência social, e acima desse valor, o reajuste será o que resultar de livre negociação entre empregado e empregador.

Parágrafo 2º: Serão compensadas todas as antecipações legais, convencionais ou espontâneas concedidas entre 01/09/2019 e 31/08/2020, excluídos os aumentos decorrentes de promoção, transferência, vantagem pessoal ou equiparação salarial.

Parágrafo 3º: As eventuais diferenças salariais oriundas da presente Norma Coletiva de Trabalho poderão ser pagas, sem qualquer tipo de multa ou acréscimo, por ocasião do pagamento dos salários do mês de dezembro/2020 ou seja, até o 5º dia útil de janeiro de 2021.

Cláusula 2ª – Piso Salarial
A partir de 1° de novembro de 2020, fixação de salário normativo ao enfermeiro, no valor de R$ 3.564,67 (três mil quinhentos e sessenta e quatro reais e sessenta e sete centavos) aos que prestam serviços na Capital e Grande São Paulo e R$ 3.342,00 (três mil trezentos e quarenta e dois reais) aos que prestam serviço no interior do Estado.

Tais valores serão corrigidos de acordo com a Política Salarial vigente, de modo que nenhum enfermeiro poderá ser admitido a serviço da empresa, com remuneração inferior ao estabelecido.

Parágrafo 1º: As eventuais diferenças salariais oriundas da presente cláusula poderão ser pagas, sem qualquer tipo de multa ou acréscimo, por ocasião do pagamento dos salários do mês de dezembro/20, ou seja, até o 5º dia útil de janeiro de 2021.

Parágrafo 2º: Sobre os pisos acima transcritos, não haverá o reajuste da cláusula 1ª de reajuste salarial.

O patronal queria dar zero reajuste e lutamos ao menos pelo índice do INPC do período de 12 meses, para no mínimo corrigir as perdas inflacionárias.

NÃO HÁ NECESSIDADE DE TRAZER CARTA DE OPOSIÇÃO

Imprensa

Deixe uma Respota

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *