Estudo comprova que com 75% da população vacinada, pandemia é controlada

 Estudo comprova que com 75% da população vacinada, pandemia é controlada

A cidade de Serrana, no interior paulista, realizou estudo com a vacina Coronavac e ficou demonstrado que, com 75% da população vacinada, a pandemia do novo coronavírus pode ser controlada. O dado foi apresentado pelo Instituto Butantan, um dos fabricantes da vacina.

Chamado de Projeto S, a vacinação teve início em 17 de fevereiro e o objetivo era vacinar toda a população adulta da cidade para avaliar a efetividade da vacina. O município tem cerca de 45 mil habitantes, dos quais 38% são menores de 18 anos, que ainda não podem ser vacinados por falta de estudos clínicos para essa faixa etária.

O projeto previa vacinar 28.380 adultos com mais de 18 anos que vivem na cidade. Desse total, 97,7% tomaram a primeira dose do imunizante (o que corresponde a 27.722 pessoas) e 95,7% tomaram também a segunda dose (27.160 pessoas).

A cidade foi escolhida porque apresentava alto índice infecções por covid-19. A cidade foi dividida em quatro áreas, que foram vacinadas com uma semana de diferença entre elas. Com o fim da vacinação em massa, a cidade reduziu em 95% o número de mortes por covid-19. Já o número de casos sintomáticos da doença caiu 80%. A quantidade de hospitalizações teve uma queda de 86%.

Segurança

Sobre a segurança, ou seja, se a vacina produz efeitos adversos, segundo Marcos Borges, diretor do Hospital Estadual de Serrana, foram observados 67 eventos adversos graves, nenhum deles relacionado à Coronavac. Todos os eventos adversos graves que ocorrem após a vacinação são relatados. Entre eles, Borges citou acidentes de trânsito.

Após a primeira dose, foram observadas 4,4% de reações adversas, sendo somente 0,02% considerados de grau 3, como mialgia ou cefaleia. Já após a segunda dose ocorreram 0,2% de relatos de reações adversas, nenhuma de grau 3.

Proteção dos não imunizados

A pesquisa mostrou que a vacinação protege tanto os adultos imunizados quanto crianças e adolescentes não vacinadas. A imunização gerou uma espécie de cinturão imunológico, reduzindo drasticamente a transmissão do coronavírus no município.

“A redução de casos em pessoas que não receberam a vacina indica a queda da circulação do vírus. Isso reforça a vacinação como uma medida de saúde pública, e não somente individual”, destacou Ricardo Palácios, diretor de Pesquisa Clínica do Instituto Butantan em entrevista coletiva.

“Crianças e adolescentes menores de 18 anos não poderiam tomar a vacina por falta de estudos. Mas houve redução dos casos também em crianças. Não vimos, nesse estudo, o efeito de empurrar o aumento de casos para os não vacinados. O que vimos foi proteção também para eles”, disse Palácios. Isso indicaria, segundo ele, que não será necessário vacinar quem tem menos de 18 anos neste momento, para o retorno das atividades escolares presenciais.

Outro efeito observado foi a diminuição de casos inclusive entre os idosos não vacinados. “O efeito da vacina é tão forte que consegue proteger até aqueles que não foram vacinados, mesmo nas faixas etárias mais avançadas. E, quando acabamos a vacinação, acabaram casos de hospitalizações e óbitos entre os vacinados. E ainda conseguimos controlar também entre os casos não vacinados, não importando faixa etária. Isso nos traz esperança e alegria”, disse Palácios.

Vacina para todos!

A pesquisa deixa claro é que é importante aumentar o número de vacinados para que os idosos também tenham mais proteção contra a doença.

A presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo, Elaine Leoni, destaca que essa pesquisa em Serrana foi muito importante para comprovar o que os cientistas têm falado sobre a vacinação e combater os negacionistas e os movimentos antivacinas. “A Covid-19 fez os cientistas trabalharem numa velocidade nunca vista, uma verdadeira corrida para salvar a humanidade. E a salvação existe: são as vacinas. Agora, precisamos pressionar para que o governo disponibilize vacinas para toda a população”.

Sindicato dos Enfermeiros

Deixe uma Respota

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *