Governo elabora lista com seus próprios crimes na pandemia

 Governo elabora lista com seus próprios crimes na pandemia

O Senado instalou a CPI da Covid para investigar a atuação do governo federal durante pandemia. Antes mesmo da instalação e no intuito de se defender, a Casa Civil da Presidência da República elaborou uma lista com 23 possíveis questões para serem respondidas.

Distribuída para as diversas áreas governamentais buscarem respostas convincentes, a lista veio a público e surpreendeu pela sinceridade. É muito mais do que uma lista. É a confissão dos crimes cometidos contra a saúde da população brasileira. 

Os pontos levantados pela Casa Civil demonstram que o governo tem plena consciência do que fez, não se tratando, portanto, de erros cometidos; demonstra que é uma política deliberada e que, ainda mais por isso, precisa ser julgado com seriedade e que pague pelos seus crimes.

Conheça a lista. Todos os pontos se referem às medidas adotadas ou não pelo governo.

1 – Foi negligente com o processo de aquisição e desacreditou a eficácia da CoronaVac (que atualmente se encontra no Plano Nacional de Imunização);

2 – Minimizou a gravidade da pandemia (negacionismo);

3 – Não incentivou a adoção de medidas restritivas;

4 – Promoveu tratamento precoce sem evidências científicas comprovadas;

5 – Retardou e negligenciou o enfretamento à crise no Amazonas;

6 – Não promoveu campanhas de prevenção à Covid;

7 – Não coordenou o enfrentamento à pandemia em âmbito nacional;

8 – Entregou a gestão do Ministério da Saúde, durante a crise, a gestores não especializados (militarização do Ministério);

9 – Demorou a pagar o auxílio-emergencial;

10 – Ineficácia do Pronampe;

11 – Politizou a pandemia;

12 – Falhou na implementação da testagem (deixou vencer os testes);

13 – Faltaram insumos diversos (kit intubação);

14 – Atraso no repasse de recursos para os Estados destinados à habilitação de leitos de UTI;

15 – Genocídio de indígenas;

16 – Atrasou a instalação do Comitê de Combate à Covid;

17 – Não foi transparente e nem elaborou um Plano de Comunicação de enfrentamento à Covid;

18 – Não cumpriu as auditorias do TCU durante a pandemia;

19 – Brasil se tornou o epicentro da pandemia e “covidário” de novas cepas pela inação do Governo

20 – Os generais Eduardo Pazuello e Braga Netto, e diversos militares não apresentaram diretrizes estratégicas para o combate à Covid;

21 – O presidente Bolsonaro pressionou os ex-ministros da Saúde Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich para obrigá-los a defender o uso da hidroxicloroquina;

22 – Recusou 70 milhões de doses da vacina da Pfizer;

23 – Fabricou e disseminou fake news sobre a pandemia por intermédio de seu gabinete do ódio.

A consequência dessas ações ou inações é a morte de quase 400 mil brasileiros, a destruição da economia, pois não pode haver economia forte com milhares de mortes diárias por uma pandemia, milhões de pessoas sem perspectiva e tendo que lidar com a morte que destrói milhares de famílias.

Essa semana vazou o áudio do chefe da Casa Civil, general Ramos, dizendo que tomou a vacina escondido para não contrariar o capitão que ocupa a presidência. Esse áudio é mais um elemento a comprovar o descaso e a política genocida de Bolsonaro. 

Depois disso tudo é preciso acrescentar mais? A lista é uma poderosa peça de acusação que será julgado pelos senadores e pelo povo brasileiro. (por Solange Caetano, secretaria geral do SEESP)

Sindicato dos Enfermeiros

Deixe uma Respota

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *