Lei em Piedade instituiu Piso da Enfermagem

 Lei em Piedade instituiu Piso da Enfermagem

A luta pela implementação do Piso Salarial Nacional da Enfermagem tem sido árdua para os trabalhadores e profissionais da área. Depois de aprovar no Congresso Nacional e ser sancionada, a Lei 14.434 foi barrada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) com a desculpa de que falta regulamentar as fontes de financiamento, mesmo que o governo federal tenha dado aval para o pagamento do piso.

A justeza do Piso Salarial é tão certa, que vários municípios estão tomando a iniciativa de bancar o pagamento, independente do embargo do STF. É o caso da Prefeitura Municipal de Piedade, em São Paulo, que tem pouco mais de 55 mil habitantes, o que é considerado um município pequeno, com menor arrecadação e que aprovou a Lei n} 47.99, de 16/3/23 e que determina o pagamento de Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares de Enfermagem de acordo com os valores aprovados na Lei do Piso da Enfermagem.

“Isso demonstra que um pouco de boa vontade, reconhecimento e valorização da Enfermagem faz com que seja possível pagar o Piso”, afirma a diretora do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo, Anuska Schneider.

Anuska parabeniza o prefeito de Piedade, Geraldo Pinto de Camargo Filho. “Tenho certeza que a população de Piedade sairá ganhando, porque trabalhador valorizado tem melhores condições de prestar uma assistência em saúde de mais qualidade”, diz a diretora do SEESP>

O SEESP tem mantido conversas com um grande de municípios para viabilizar o pagamento do Piso Salarial mesmo antes de ter uma solução nacional para o caso.

Deixe uma Respota

O seu endereço de e-mail não será publicado.