Pesquisa sobre convívio com idosos

Meu nome é Roberto, estudante de engenharia de controle e automação pelo Instituto Nacional de Telecomunicações(INATEL), com experiência na CP2eJr (empresa Jr) e participo do grupo de pesquisa do Centro de Desenvolvimento e Transferência de Tecnologia Assistiva(CDTTA).
Se para a maioria das pessoas o lar é o lugar mais seguro do mundo, para os idosos ele pode representar risco constante. Segundo dados do Sistema Único de Saúde(SUS), cerca de 75% dos acidentes sofridos por pessoas com mais de 65 anos acontecem dentro de casa, sendo as quedas mais constantes. No Brasil, 30% dessas pessoas caem pelo menos uma vez por ano. Ainda de acordo com o SUS, 46% das fraturas provocadas por essas quedas ocorrem no trajeto quarto-banheiro, principalmente durante a noite.
Os acidentes com quedas , porém, são os maiores causadores de óbitos na faixa etária dos 75 anos em diante, Fuller afirma que metade dos idosos que sofrem fratura de quadril, por esses motivos ficam incapacitados e, desses, 25% morrerão em menos de seis meses.
Segundo as PNADs (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio), entre 1992 e 2012, o número de idosos vivendo sozinhos triplicou, passando de 1,1 milhão para 3,7 milhões, e estes números se mostram em um crescimento exponencial. De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saude), o Brasil ocupará, em 2025, o sexto luga em número de idosos, totalizando cerca de 32 milhões de idosos, representando um aumento de 15 vezes dessa população, enquanto a população geral crescera apenas cinco vezes nesse mesmo período, concluindo que o número deles morando sozinhos consequentemente aumentará.
Neste sentido, o objetivo geral do projeto é encontrar soluções que possam melhorar a qualidade de vida dos idosos através da automação residencial. Na primeira fase desse projeto está sendo realizada uma pesquisa com o objetivo  de identificar os problemas enfrentados pelos idosos em seus lares.
Através deste trabalho espero encontrar problemas em que a automação residencial possa solucionar e melhorar significantemente a qualidade de vida de cuidadores e principalmente dos idosos e seus familiares. Além de estreitar o relacionamento com os entrevistados para futuramente apresentar resultados e continuar a parceria.
Segue o link para participar da pesquisa: http://goo.gl/forms/ebK269uDlW
Roberto Luiz Assad Pinheiro
Referências:
World Health Organization (WHO). Global Forum for Health Research: The Report on Health Research. Genebra, 2000 [citado em 2008 mai 2005].
Fuller GF. Falls in the elderly. Am Fam Physician. 2000;61(7):2159-68, 2173-4.
LANGE, C. Acidentes domésticos em idosos com diagnóstico de demência, atendidos em um ambulatório de Ribeirão Preto, SP. 2005. 221f.