Profissionais de enfermagem entram em greve em Ribeirão Preto

Os profissionais de saúde de Ribeirão Preto, entre eles enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, estão em greve desde a última segunda-feira (03). A paralisação ocorreu após a Prefeitura não implantar, em 1º de fevereiro, a redução da jornada de 36 para 30 horas semanais, conforme lei municipal aprovada em junho de 2012.

A administração municipal afirma que a greve é ilegal e lesa o interesse público e que a carga horária de 30 horas acarretaria em novas contratações e a situação financeira do município não permite tal processo.

Cerca de 300 profissionais estão atendendo normalmente conforme determinação legislativa. Apenas as consultas agendadas não serão realizadas, o atendimento primário está mantido.

Até o momento não houve acordo entre a categoria e a Prefeitura e os profissionais votaram por manter a greve.

“Os trabalhadores estão exigindo apenas o que foi acordado em lei. A greve é um direito e, infelizmente, a única maneira dos governos entenderem as necessidades da classe. A intenção não é prejudicar a sociedade, mas sim, fazer valer o que é direito. Somos solidários nessa luta!”, lembra Solange Caetano, diretora do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo (SEESP).

Deixe uma Respota

O seu endereço de e-mail não será publicado.