Santa Casa de Misericórdia de SP planeja demitir 1,3 mil funcionários

A Diretoria do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo (SEESP) tem acompanhado toda a crise financeira da Santa Casa de São Paulo e vem fazendo reuniões constantes para tentar barrar os prejuízos que a categoria tem sofrido. Em reunião no início do mês, foi informada que haveriam demissões, porém, não foi repassada à Entidade se teriam enfermeiros entre as mesmas.

Na próxima quinta-feira (22), haverá uma reunião na Superintendência Regional do Trabalho para verificar a questão dos valores atrasados (13º salário), ocasião em que a diretoria do SEESP aproveitará para cobrar um posicionamento sobre essas demissões, bem como fazer novas denúncias, principalmente de casos de assédio moral que os trabalhadores vem sofrendo.

“É fato que não iremos permitir que os trabalhadores sejam demitidos e suas verbas rescisórias não sejam pagas. Entendemos a estratégia da Santa Casa de organizar a crise financeira reduzindo a folha de pagamento, mas não é admissível que, mais uma vez, aqueles que tem garantido a manutenção do atendimento de saúde sejam prejudicados”, comentou Elaine Leoni, secretária geral do SEESP.

Veja matéria sobre as demissões aqui (Fonte: G1)