SEESP marca presença em manifestação das Centrais Sindicais

 SEESP marca presença em manifestação das Centrais Sindicais

O Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo (SEESP) marcou presença na manifestação das centrais sindicais que ocorreu hoje (28) na Avenida Paulista no centro de São Paulo. O ato simbolizou o posicionamento da classe trabalhadora contra as medidas provisórias 664 e 665 que modificam benefícios da sociedade como auxílio doença, pensão e seguro desemprego.

A maior parte da atividade, que foi organizada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), Força Sindical, Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central dos Sindicatos Brasileiros, Nova Central (NCST) e movimentos sociais, ocorreu no vão livre do MASP, onde os líderes das entidades subiram em um trio elétrico para cobrar mudanças do governo federal em relação às alterações dos direitos trabalhistas.

Com fortes críticas à Presidente Dilma Rousseff, que em campanha havia dito que não deixaria que os direitos trabalhistas fossem modificados e o trabalhador prejudicado, vários presidentes de sindicatos, associações e organizações cobraram uma reformulação na maneira de arrecadação fiscal de forma que evite afetar benefícios sociais para se estabilizar uma crise.

“Todos foram pegos de surpresa com esta medida provisória, não houve uma negociação prévia, por isso não podemos deixar isso quieto e permitir que os trabalhadores paguem essa conta. Este ato é para pressionar o governo a retroceder com essa decisão de mudar o que é um bem adquirido do povo”, disse Péricles Batista, diretor do SEESP

A manifestação que começou por volta das 9h teve uma breve passeata até a altura da sede da Petrobras. As duas pistas da avenida foram interditadas pela Companhia de Engenharia de Tráfico (C.E.T.) para que os participantes, inflamados pela vontade de combater a injustiça, pudessem passar tranquilamente com suas bandeiras, faixas e instrumentos musicais.

A organização do evento informou que um documento com reivindicações e criticas deve ser entregue ao Ministério da Fazenda. No documento há também reclamações e pedidos de mudanças para questões como o fim do fator previdenciário, redução da jornada de trabalho entre outras questões que afetam o bolso dos trabalhadores.

Paralelamente na cidade de Bauru, no interior de São Paulo, aconteceu na Avenida Rodrigues Alves, em frente à Câmara dos Vereadores uma manifestação com trabalhadores locais. O diretor do SEESP Natanael Costa acompanhou e apoiou a ação que contou com a distribuição de panfletos e jornais informativos.

“Não se controla uma crise prejudicando o carro chefe de um país, que é o trabalhador. Vamos batalhar para que não aconteça esse retrocesso, se for para mexer nos direitos trabalhistas, que seja para melhorá-los”, comentou Natanael Costa.

20150128_101753 20150128_111255 20150128_111510 20150128_113218 20150128_113431