SEESP pleiteia reajuste aos Enfermeiros da Santa Casa de Santa Isabel

 SEESP pleiteia reajuste aos Enfermeiros da Santa Casa de Santa Isabel

O Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo ingressou com Ação de Cumprimento de Convenção Coletivo de Trabalho contra a Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Santa Isabel. No passado, foi julgada procedente uma outra ação do SEESP reclamando os reajustes convencionais e piso salarial dos anos de 2012/2013; 2013/2014; 2014/2015; 2015/2016. Mesmo condenada, a Santa Casa de Misericórdia de Santa Isabel não aplicou os reajustes nos anos posteriores, e o SEESP não tem outra solução, a não ser ingressar mediante ao judiciário, para repor as perdas salariais dos anos subsequentes. 

O Sindicato pleiteia os seguintes reajustes:

CCT 2017/2018 – Reajuste salarial total, da ordem total de 2% (dois por cento), a partir de setembro de 2017, em uma única parcela incidente sobre salários de agosto de 2017.

CCT 2018/2019 – Reajuste salarial de 3,64% (três vírgula, sessenta e quatro por cento).

CCT 2019/2020 –  Reajuste salarial de 3,29% (três inteiros e vinte e nove centésimos por cento).

CCT 2020/2021 –  Reajuste salarial de 2,94% (dois inteiros e noventa e quatro centésimos por cento).

CCT 2021/2022 – Reajuste salarial de 10,42% (dez inteiros e quarenta e dois centésimos por cento).

O SEESP pede que a Santa Casa seja compelida a efetuar o pagamento das diferenças salariais para os substituídos de todo o período por estes laborado.  Pede inclusive, nos casos de enfermeiros desligados, que a rescisão seja recalculada com o Piso Salarial atualizado, bem como o pagamento das incidências em DSR’s/feriados e nas férias acrescidas de 1/3, 13º salário, verbas rescisórias e fundo de garantia.

A presidente do SEESP, Elaine Leoni, afirma que o Sindicato não medirá esforços para garantir a recomposição dos salários dos enfermeiros. “Estamos ingressando na Justiça para garantir os reajustes aos profissionais de Santa Casa de Santa Isabel. É inadmissível que fiquem anos sem receber nenhum reajuste. E essa situação se torna ainda mais grave com a escalada inflacionária que estamos vivenciando”, afirmou Elaine.

Deixe uma Respota

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *