SEESP quer equiparação salarial para enfermeiros de Marília

 SEESP quer equiparação salarial para enfermeiros de Marília

O Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo participou ontem, em Marília, de mais uma reunião com representantes da FAMEMA, FAMAR e FUMES; e da prefeitura Municipal de Marília para discutir a recomposição salarial dos profissionais da FUMES. 

Pelo SEESP participaram a presidente, Elaine Leoni; e a secretária geral, Solange Caetano . Pela FUMES, a advogada Débora; e pela FAMAR, o representando do RH, José Carlos. O vice-prefeito de Marília, Cícero do Ceasa, participou representando a prefeitura.

Segundo Solange Caetano, o salário dos Enfermeiros da FUMES está completamente defesado, e repor as perdas é uma necessidade urgente. “Os profissionais da FUMES estão há muitos anos sem nenhum tipo de reajuste. Eles trabalham no HC FAMEMA, onde também trabalham Enfermeiros ligados à FAMAR. Só que como a FAMAR é uma fundação privada, os profissionais têm reajustes com base na Convenção Coletiva, enquanto o pessoal da FUMES, que é uma fundação pública, não têm reajustes porque não há convenção coletiva no setor público”, explica. 

“Isso faz com que exista uma diferença muito grande entre os salários dos Enfermeiros da FUMES, comparados aos dos Enfermeiros da FAMAR. Os Enfermeiros, com razão, estão bastante revoltados porque eles querem ganhar os mesmos salários e ter os mesmos benefícios, já que fazem o mesmo trabalho, no mesmo local”, diz a secretaria geral do SEESP.

Entre os encaminhamentos, ficou a tentativa de uma nova reunião a ser realizada, desta vez com a secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado, visto que a verba para reposição salarial precisaria vir dessa Secretaria; e uma reunião também com o presidente da FUMES para debater sobre a possibilidade da fundação assumir a melhoria nos salários.

O SEESP espera que nas próximas reuniões sejam apresentadas propostas concretas para garantir a recomposição salarial dos Enfermeiros da FUMES. Em último caso, o Sindicato cogita ingressar com uma ação na Justiça solicitando a equiparação salarial. Esta última alternativa está sendo avaliada pelo Departamento Jurídico do Sindicato.

Sindicato dos Enfermeiros

Deixe uma Respota

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *