SEESP se reúne com prefeito de Lutécia para debater as pautas dos Enfermeiros

 SEESP se reúne com prefeito de Lutécia para debater as pautas dos Enfermeiros

O Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo esteve na cidade de Lutécia na sexta, 3 de março, onde reuniu-se com o prefeito municipal, com o vereador e Enfermeiro Paulo Henrique Zadona,  e com profissionais da Enfermagem do município.

O vice-presidente do SEESP, Péricles Batista, e a diretora Ana Firmino representaram o SEESP com o objetivo de abrir o diálogo e a negociação das pautas de interesse da categoria, como o  Piso Nacional Salarial da Enfermagem e a Jornada de 30 horas semanais.

Em reunião com a categoria, os diretores fizeram uma explanação sobre o andamento do Piso Salarial e da Jornada de 30 horas semanais. Essas são as duas principais reivindicações dos profissionais.

As conversas deixaram claro que a implementação das 30 horas não terá impacto financeiro para o município e depende de um projeto ser encaminhado pelo Executivo para o Legislativo, “pois já existe entendimento com a Câmara Municipal, sensível a essa causa” afirma Péricles Batista, informando que vários municípios já deliberam de maneira favorável às 30 horas para os servidores.

Péricles afirma que, no passado, em Lutécia, a jornada de trabalho era de 30 horas porque existia um acordo da categoria com a prefeitura, mas sem previsão na lei. Agora, os trabalhadores querem a validação das 30 horas semanais via legislação municipal.

Em relação ao Piso Salarial da Enfermagem, ficou acertado que o prefeito, no primeiro momento, irá solicitar parecer ao Departamento Jurídico; destacou também que é necessário fazer uma previsão orçamentária. “Mas se mostrou aberto ao diálogo”, diz o vice-presidente do SEESP. Vários outros municípios já anteciparam que a definição sobre o piso que acontecerá após a apresentação da minuta pela Casa Civil do Governo Federal.

Ana Firmino reforça que “ direção do SEESP vem percorrendo a base, articulando junto ao poder público e apresentando as pautas que mais interessam à categoria, no sentido de sua valorização, que precisa existir de forma concreta, garantindo melhores salários e condições mais adequadas de trabalho”.

Deixe uma Respota

O seu endereço de e-mail não será publicado.